Home   |   Mapa do Site    |   Contato
Email dos Leitores
Dúvidas
Depoimentos
Dica da Semana
Galeria de Fotos
Alerta ao Comprador
Humor
Denúncias
Cadastre-se
Frase da Semana
Proverbios de Cavalos
Pensamentos
Conformacao
Condicion. Fisico
Marcha
Doma
Treinamento
Equitação
Embocaduras
Manejo de Cascos
Reprodução
Genética
Canal Marcha picada
ABCCMM
NUCLEOS
Haras em Destaque
Marchador Internacional
Links Interessantes
CURSOS ONLINE
PALESTRAS ONLINE
LIVROS EM CD
LIVROS IMPRESSOS
AUDIO-BOOKS
Loja Virtual Do Cavalo M
M. Picada no Mundo
Como Registrar
Frutas que Curam
Alerta
Preserve a Natureza
A Fotografia
Saude
Controle o Estresse
O Espelho de Gandhi
Calendario Lunar
Datas comemorativas
Previsao do Tempo

Clique para ampliar
Clicar para aumentar foto e ler legenda
Clicar para aumentar foto e ler legenda


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O BIÓTIPO FUNCIONAL DO CAVALO MANGALARGA MARCHADOR

                                                                 * Lúcio Sérgio de Andrade

 

A conformação não é condição de marchar, mas pode contribuir para melhorar a qualidade da marcha. As variadas infusões de sangues exóticos na raça Mangalarga Marchador contribuíram para descaracterizar o biótipo funcional, que deveria ser do cavalo original de MTAD – Marcha de Tríplices Apoios Definidos.

Cada raça, dependendo de sua função atlética, apresenta biótipo caracteristico. Vejamos alguns exemplos clássicos:

Quarto de Milha – especialista nas corridas de um quarto de milha, tem anteriores curtos e posteriores altos, massa muscular volumosa, tronco mais brevelíneo nos animais de trabalho e, ao contrário, de mediolíneo a longelíneo nos animais de corrida;

Puro Sangue Inglês – especialista nas corridas de longa distância, tem grande porte, conjunto de frente leve, tronco esguio, longelíneo, membros refinados, posteriores de grande comprimento;

Bretão – especialista na tração e atrelagem, tem grande porte, conjunto de frente volumoso, tronco brevelíneo, ossos grandes nos membros, massa muscular bem desenvolvida.

Mangalarga Marchador – A função original sempre foi para serviços de campo e cavalgadas de transporte. Posteriormente, o uso em serviços de campo foi reduzido, devido à mecanização das fazendas. Paralelamente, com o aumento do êxodo rural, o uso em passeios e cavalgadas de lazer ganhou adesão do maior número de usuários, como forma de amenizar o estresse da vida urbana. Uma minoria usa o cavalo em práticas esportivas, que exigem maior dominio da equitação e cavalos de biótipo funcional específico.

O Biótipo Funcional significa a forma em relação à função. Pode ser entendido como o “true type” do cavalo Mangalarga Marchador, acrescido da expressão maior da caracterização racial. Os indicativos sao vários, que se interagem para favorecer a qualidade da marcha.  Ressalva: faço referência à autêntica marcha de um cavalo de passeio e cavalgada, que não pode ser a marcha diagonalizada e outros andamentos transicionais que vêm sendo valorizados nas exposições. Estes andamentos, de fortes atritos verticais, sao rejeitados pela maioria dos usuários. Lazer é sinônimo de conforto. Atritos verticais, exceto os amenos, agradáveis, da Marcha Batida Clássica,  não são sinônimos de conforto.

- Proporções corretas: Altura equidistante entre membros anteriores / membros posteriores e tronco mediolíneo, caracterizando o chamado “cavalo quadrado”. Este biótipo favorece o melhor engajamento dos posteriores, que se deslocam mais próximos do solo, condição para a melhor definição dos tríplices apoios. Posteriores mais altos sao típicos de cavalos esportistas. Se o tronco é brevelíneo, é típico de cavalos de tração. Ao contrário, se longelínio, é típico de cavalos esportistas.

As proporções lineares também correlacionam-se com o biótipo funcional, definindo-se pela paridade entre medidas de comprimento da cabeça, do pescoço, espáduas, dorso/lombo e garupa. As proporções também devem ser corretas entre abertura do tórax e largura da garupa, o que correlaciona-se com a abertura de joelhos e de jarretes. Tórax estreito favorece o desvio de joelhos cambaios. Garupa estrangulada faovorece o desvio de jarretes fechados.

- Angulações corretas: Espáduas e quartelas com inclinação em torno de 55 graus, o que favorece mais eficiência nos “amortecedores”, que são as próprias quartelas e os boletos. Espáduas curtas e verticalizadas, em associação às quartelas curtas e fincadas, estão associadas à falta de comodidade. Outra angulação estreitamente ligada com o bom desempenho da MTAD são as pernas mais inclinadas e jarretes ligeiramente mais angulados em relação aos cavalos de trote. Estas angulações dos membros posteriores favorece os deslocamentos menos elevados e o melhor engamento e, consequentemente, a melhor definição, ou até mesmo a ocorrência, dos tríplices apoios. Garupa levemente inclinada é outra angulação relevante, ja que a garupa plana está associada ao posicionamento mais atrasado dos membros posteriores e aos deslocamentos mais elevados, o que dificulta a ocorrência dos tríplices apoios. No pescoço, o mal direcionamento e a má inserção ao tronco prejudica a postura correta da cabeça e pode favorecer os excessos de elevação dos membros anteriores.

- Ligações bem definidas: Entre cabeça/pescoço, pescoço/tronco, cernelha/dorso, dorso/lombo, lombo/garupa. A irregularidade na primeira pode afetar a postura correta da cabeça. Na segunda, tanto a postura correta da cabeça quanto o equilibrio de locomoção dos membros anteriores. Nas demais, o equilíbrio dinâmico, em especial a má ligação entre lombro / garupa, que reduz a força de impulsão.

- Forte constituição óssea-muscular: Tórax aberto, bem musculado e profundo; costelas bem arqueadas; cernelha, dorso e lombo bem musculados; garupa larga, longa e bem musculada; membros de ossatura forte, articulações bem definidas. A solidez, desenvolvimento, distribuição e proporcionalidade da musculatura de membros, dorso/lombo e garupa também é qualidade muito apreciada no cavalo atleta. Contudo, volume excessivo na ossatura e musculatura tende a prejudicas a suavidade dos apoios.

- Aprumos regulares: o alinhamento correto dos membros, de perfil, de frente ou de trás, favorece a retidão dos deslocamentos, o equilíbrio e a boa coordenação, o que está diretamente relacionado aos parâmetros de avaliação qualitativa da marcha – comodidade, estilo, regularidade e desenvolvimento.

- Cascaria de formato normal, forte e saudável: os cascos anteriores são arredondados, para melhor desempenharem a função principal de apoio. Os cascos posteriores são ligeiramente estreitos e de pinça mais fechada, para melhor desempenharem a função principal da impulsão.

Nao há uma característica específica, ou integrada, do biótipo funcional que seja causa de uma maior ou menor dissociação, a qual é fator determinante da ocorrência dos tríplices apoios. Isto significa que a conformação não é condição de marcha, mas sim de favorecer ou não a qualidade da marcha. O importante é saber interpretar corretamente, e valorizar, o biótipo correlacionado com a autêntica marcha do cavalo Mangalarga Marchador.

* O autor é Zootecnista, escritor, com 30 livros publicados e quase 60 dvd’s, as maiores coleções da equideocultura brasileira de marcha. Para pedidos acessar o site profissional – www.equicenterpublicacoes.com.br, onde está hospedada a Loja Virtual do Cavalo de Marcha, que também oferece embocadura e equipamento de doma e treinamento especializado do cavalo Mangalarga Marchador de M.T.A.D. – Marcha de Tríplices Apoios Definidos.

 

 

home |voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




Itaporanga-SE
Francisco Garcez (Tito) -
(79) 9977 8000


Carvalhos-Sul de Minas
Prop. Fernando Pizza -
(35) 3345 1552

APRESENTAÇÃO      EDITORIAL      A RAÇA       ORIGEM      GENÉTICA      ANDAMENTO      CONFORMAÇÃO      REGISTRO      HINO
Copyright © 2008. RDA Tecnologia. Todos os Direitos Reservados.