Home   |   Mapa do Site    |   Contato
Email dos Leitores
Dúvidas
Depoimentos
Dica da Semana
Galeria de Fotos
Alerta ao Comprador
Humor
Denúncias
Cadastre-se
Frase da Semana
Proverbios de Cavalos
Pensamentos
Conformacao
Condicion. Fisico
Marcha
Doma
Treinamento
Equitação
Embocaduras
Manejo de Cascos
Reprodução
Genética
Canal Marcha picada
ABCCMM
NUCLEOS
Haras em Destaque
Marchador Internacional
Links Interessantes
CURSOS ONLINE
PALESTRAS ONLINE
LIVROS EM CD
LIVROS IMPRESSOS
AUDIO-BOOKS
Loja Virtual Do Cavalo M
M. Picada no Mundo
Como Registrar
Frutas que Curam
Alerta
Preserve a Natureza
A Fotografia
Saude
Controle o Estresse
O Espelho de Gandhi
Calendario Lunar
Datas comemorativas
Previsao do Tempo

Clique para ampliar
Clicar para aumentar foto e ler legenda
Clicar para aumentar foto e ler legenda


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                  CARACTERIZAÇÃO DA MARCHA BATIDA CLASSICA

Nas exposições oficiais de cavalos da raça Mangalarga Marchador nota-se uma nítida preferencia pela marcha batida excessivamente diagonalizada. Mas entre os usuários  a preferência é por animais macios, de marcha picada ou de marcha de centro ( a legítima, e não a falsa, de conceito distorcido pelos técnicos). Esta é a falta de lógica. Não se julga nas exposições uma marcha em harmonia com a preferencia do mercado nacional e internacional, e muito menos em sintonia com a definição no Padrão Racial.  Mais incompreensível ainda é a acomodação de criadores em aceitar esta situação. Será que a maioria pensa, realmente, que esta “marcha” de pista representa uma evolução? Se é assim, deveriam desejar a fusão  das duas raças: Mangalarga Marchador e Mangalarga. Além do mesmo tipo de andamento, a genética também já é semelhante na maioria dos plantéis de selecionadores, devido às infusões frequentes, extra-oficiais, de animais da raça Mangalarga.

A essência da marcha pura, de valor  zootécnico, é a dissociação nitidamente visual,  o que implica na alternância no deslocamento dos membros, quebrando visualmente a associação dos bípedes diagonais, ou laterais, conforme seja a modalidade de marcha. Zootecnicamente, em se tratando de seleção de cavalos marchadores, quanto mais dissociados os membros se locomovem, de mais valor reveste-se  a marcha, em termos de sustentação e dinâmica, pois os extremos indesejáveis do trote e da andadura estarão distantes.

Na verdade, a sustentação e dinâmica de um cavalo de marcha pura em nada difere de um cavalo ao passo, no qual o animal locomove cada membro independentemente, e não de forma associada, ora no par diagonal, ou ora no par lateral, dependendo da modalidade do andamento. Em cada ciclo do passo sempre ocorrem 4 apoios tripedais, 2 apoios duplos diagonais e 2 apoios duplos laterais. Esta é a mesma mecânica de locomoção da marcha autêntica, pura, completa. O passo é um andamento marchado de baixa velocidade. A marcha é um andamento de média velocidade. A melhor maneira de verificar a naturalidade da marcha é iniciá-la lentamente a partir do passo. Se o animal diagonalizar, estará mais próximo do trote. Se o animal lateralizar, estará mais próximo da andadura. Se o animal encartar a marcha continuando a deslocar cada membro a seu tempo, esta será a mais pura das marchas, indiscutivelmente centrada. Não há que discutir o óbvio. Papel de bobo faz quem acredita que o árbitro é capaz de visualizar tríplices apoios sem os recursos da cinemática e da informática. O que se consegue, a olho nu, é identificar a dissociação ( não em marchas diagonalizadas ). Constatada a dissociação, pressupõe-se a ocorrência dos desejaveis apoios tripedais.

Pesquisas ja comprovaram que o trote e as marchas diagonalizadas são geneticamente dominantes, ao contrario da andadura clássica, andadura desunida e marcha picada. Há também uma dominância da marcha batida sobre a marcha de centro. Contudo, as variações de dominâncias genéticas são minimizadas quando se compara a marcha de centro com suas sub-variedades, que podem ser chamadas de “marcha picada de centro” e “marcha batida de centro”    ( a marcha batida que deveria ser a preferencial, que os criadores antigos chamariam hoje de “marcha batida clássica” ). Muitos confundem uma autentica marcha de centro como sendo marcha picada, dai a confusão de quem conceitua erroneamente a marcha picada como podendo apresentar tempos de apoios duplos diagonais um pouco maiores que os apoios duplos laterais.

Se a essência da marcha é representada pela nítida dissociação, esta qualidade é a mais importante de todas, até porque é o principal fator determinante da boa comodidade, pois resulta nos desejaveis triplices apoios sucessivos, de boa definição. Errados estão todos aqueles que defendem as marchas batidas excessivamente diagonalizadas com argumentos de propiciarem mlhor regularidade, mais rendimento, mais equilíbrio, impulsão. De que adianta se estas “marchas” perderam a essência que se traduz na nítida dissociação? Elas são como um perfume de marca, porem falsificado. Mas hoje muitas nem são como perfume de marca, pois não se pode confiar na genealogia...

Lúcio Sérgio de Andrade – Zootecnista, escritor, pesquisador, instrutor de cursos de julgamento, casqueamento corretivo, equitação e adestramentoa de cavalos de MTAD – Marcha de Triplices Apoios Definidos

 

 

 

home |voltar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




Itaporanga-SE
Francisco Garcez (Tito) -
(79) 9977 8000


Carvalhos-Sul de Minas
Prop. Fernando Pizza -
(35) 3345 1552

APRESENTAÇÃO      EDITORIAL      A RAÇA       ORIGEM      GENÉTICA      ANDAMENTO      CONFORMAÇÃO      REGISTRO      HINO
Copyright © 2008. RDA Tecnologia. Todos os Direitos Reservados.